Publicidade




0


"O homem estava claramente fazendo um escudo em cima dela para que não fosse atingida", disse o fotógrafo em entrevista a um jornal britânico


Um homem abraçado a uma mulher que parece ferida após o ataque ocorrido em Las Vegas no último domingo (1º) que matou 59 pessoas e feriu mais de 500. A descrição pode ser simples de ser feita, mas a história do clique feito por David Becker é mais complexa.

O fotógrafo, que fazia a cobertura do festival alvo do atirador, deu uma entrevista ao jornal "Daily Mail" e explicou, entre outras coisas, um dos seus cliques mais incríveis. "Eu não sei se ela estava ferida. Mas o homem estava claramente fazendo um escudo em cima dela para que não fosse atingida", disse o profissional ao jornal, contando ainda que logo depois o casal se levantou e saiu correndo.


Antes do ataque a tiros se iniciar, Becker já tinha finalizado  seu trabalho fotográfico e já havia começado, inclusive, a descarregar as fotos para editá-las. Ele contou ao jornal britânico que inicialmente ouviu barulhos de disparos, mas havia sido comunicado por um segurança que se tratava de foguetes que faziam parte do show. Entretanto, Becker  viu a correria da multidão e voltou para o festival para que pudesse registrar o ataque.

Ainda segundo o fotógrafo em entrevista ao "Daily Mail", várias pessoas desconhecidas se ajudavam e faziam de tudo para que pudessem sobreviver. Enquanto alguns fugiam do local, outros só pediam para que as luzes fossem apagadas e que todos fizessem silêncio.

Becker não tinha noção da dimensão da situação ainda quando estava fazendo registros. “Quando terminei e me refugiei em um local seguro, comecei a olhar as imagens da câmera. Foi então que percebi o quão horrível era o que estava vendo. As pessoas estavam morrendo”, disse ele ao Daily Mail. Naquele momento ele ainda não sabia de que foi testemunha do ataque a tiros mais mortal do seu país.

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário. Não publicamos neste blog comentários com palavras de baixo calão, denúncias levianas e troca de ofensas entre leitores.